37- Moldes


Seu braço estava sempre erguido. O indicador em riste. As acusações na ponta da língua. Sua mente fechada.

A sociedade lhe moldou na escuridão. Seus olhos não veem a realidade e suas orelhas só compreendem o que estão acostumadas a escutar. 

Seus neurônios, caquéticos, tentam sobrevivar em meio a tanta estupidez. 

E você agora cria seus próprios moldes. Um exército de fantoches vendados. Não aceitando os que diferem. Não aceitando os outros.

Suas verdades. Mentiras.

Suas palavras. Erros.

Seu molde. Torto.

Sua natureza. Defeituosa. 

0 comentários :

Postar um comentário

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!