História sem nome 1

Esse Concept é de uma história antiga que eu ainda não tive a oportunidade de continuar (se alguém se lembra da lista, é a "História sem nome 1", que continua sem ter um nome).
Espero que gostem, não deixem de comentar.
Contém: Violência.
Imagem: we heart it (editada por mim)
Os parágrafos em itálico passam-se no passado (caso alguém ache confuso). 


Sangue. Ela sabia que era em sangue que estava deitada. Ainda estava quente. Parecia muito fresco. E realmente era.
Ela tentou se erguer, mas seu corpo estava tomado por uma dor tão aguda que se mexer só piorava. Lembrava-se vagamente do que tinha acontecido. Lembrava-se da fúria.
Lembrava-se também de um show… De ligações… De atrasos.
Guido. Guido.” Tentou chamá-lo, mas sua voz não saia mais forte do que um sussurro. E o que adiantaria chamá-lo? Sabia que a culpa tinha sido dele.

Ele tinha desligado o telefone. Seu rosto já tinha se transformado em um esgar de fúria. Virou-se para a prima. Não estava mais pensando no que estava fazendo, apenas fazia. Tinha juntado muita raiva dos últimos meses e daquela vez ela não o escaparia.


Ela virou o rosto inchado em direção à porta da rua. A luz do luar entrava pelas janelinhas. “Que noite seria aquela.


Ele a viu tentando fugir, pegou-a pelo ombro e a jogou contra a parede. “Não vai sair daqui! A culpa é toda sua e agora vai receber o que merece!”


Ela sentiu as lágrimas descendo, quentes, pela sua pele machucada. Chorar não ia adiantar nada, ela sabia daquilo.


Ele bateu. Bateu com toda força e raiva que tinha. Ela tapava a boca com as próprias mãos para não gritar. Ele não pararia até se cansar. Se ela merecia? Não pensava naquilo. Se ela era uma pessoa? Não estava mais se importando. O que pensava? Pensava que tudo estava ótimo antes dela aparecer e ele iria finalmente se vingar.


Ela deveria ter gritado. Deveria ter gritado o mais alto possível e feito os vizinhos vir ajudá-la. Mas por que não o fez? Não sabia. Agora só podia se lamentar jogada naquele chão úmido de sangue.


Ele só parou quando ela caiu pesadamente no chão, desacordada. Seu rosto sangrava, seus braços sangravam, suas pernas sangravam. E ele não sentia remorso. Estava bem satisfeito com o que tinha acabado de fazer. “Espero que agora aprenda.” Chutou as costelas da garota mais uma vez e saiu para seu quarto.


Ela ouviu o telefone tocar. Não conseguia se mover para atendê-lo, mas a pessoa na linha deveria entender… Estava muito tarde para alguém atender ao telefonema. Mas o telefone parou e ela ouviu o som de passos no quarto do primo. Deveria ser a tia, ela costumava ligar a qualquer hora.
Ela tentou novamente se sentar, mas seu corpo estava cada vez mais fraco. Deveriam ser as lágrimas que estavam tirando suas forças. Pensou. Mas não conseguia parar de chorar.
Ouviu os passos se aproximando. Fechou os olhos. Com certeza era Guido vindo lhe dar mais uma amostra de raiva grátis. Sentiu um par de mãos fortes lhe erguendo. Não se mexeu. Não abriu os olhos. Não falou nada, apenas sentiu.
Foi carregada até o banheiro. Sentiu uma das mãos a deixando e ouvi o som da banheira se enchendo. E ele a submergiu na água quente. Legal, vou ser afogada. Ela pensou.
 E então ele a puxou de volta para superfície.

6 comentários :

  1. Gente, que cena tensa. Achei interessante a narração com as cenas misturadas a pensamentos rapidos. Me perdi um pouco na verdade, mas só pq nao to acostumado com esse tipo. Na segunda vez, foi o q achei de mais legal. Adoro suas narrativas. Enki

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pensei que ficaria um pouco confuso com os flashbacks, por isso coloquei em italico (na versão original não era...)
      obrigada :D
      bjs

      Excluir
  2. Gente, essa tensão me deixou com um frio na espinha! Sério! :O
    Fiquei curiosa pra saber o que acontecer depois.
    E adorei a forma como você escreveu!

    Um beijo e feliz 2014,

    http://algumasobservacoes.blogspot.com.br/
    http://escritoshumanos.blogspot.com.br/
    http://nossocdl.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada =D
      Eu devo acabar de escrever essa hist (algum dia no futuro rsrs)
      Feliz 2014!!!!
      Estou seguindo o "Escritos Humanos" ^^
      Bjs e até

      Excluir
  3. Oi! Apesar de seu conto não estar completo, já pude ver que a cura surge após as patadas que a vida dá, vindo a limpar os sangues derramados e inocentes. A cura aí talvez deva ter sido as mãos fortes que a mergulhou na água pra limpar seu sangue. Penso assim.
    Emocionante seu conto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá =D
      Não é bem um conto... é um cap/parte/ideia para uma hist que quero começar a escrever ^^
      E as coisas se arrumam mais cedo ou mais tarde, né?
      A hist tem uma razão de ser =3 talvez eu coloque a continuação dessa parte aqui depois rsrs
      Bjs

      Excluir

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!