97- Celebração


Nem parece que foi naqueles tempos, que de fato sentimos o tempo passar. As manhãs fizeram sentido. Os dias eram felizes quando descobrimos o que de fato era a felicidade. E a cada instante víamos o mundo se transformar. E sabíamos que era por nós que se transformava. A neve derretia vagarosamente e as flores cresciam na mesma progressão. Tudo era novo e antigo, misturando-se ao que nunca notamos. Criando nosso universo. E naqueles tempos, aprendemos a nos celebrar. Porque era a única coisa que nos importava. Sermos felizes. Sermos quem éramos. Sermos.  

0 comentários :

Postar um comentário

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!