Apenas Sorri


Eu estava sentada no banco detrás vendo a paisagem passar rapidamente pela janela, formando um borrão nostálgico. Escutava o som que as outras pessoas faziam - toda a animação, todas as risadas, mas era tudo muito abstrato para que eu entendesse. Eu não queria... bem... entender, queria ficar com a arte multicolor da janela do carro.

Sentia-me perdida no meio das cores passantes, mas não mais perdida do que em todos os outros dias da minha vida.

Nós estávamos saindo. Iríamos nos divertir. Aproveitar a juventude. Iríamos ficar juntos e rir um pouco.

Mas lá estava eu. Havia me forçado a levantar da cama e me arrumar para o encontro com os velhos amigos. Havia dito que eu conseguiria fazer aquilo, que não seria tão doloroso. Havia dito que eles me faziam bem.

Mas ninguém sabia me fazer bem, nem eu mesma sabia. Sentia como se eu estivesse procurando algo, um algo inexplicável, uma sensação etérea. Queria me sentir completa. Queria que os outros me fizessem ver que estava completa. Mas não estava. Eu apenas havia me forçado. 

E estava vendo a pintura da janela. E uma mão me tocou. E eu virei. E eu sorri, como se tudo estivesse perfeito...

Apenas sorri. Perfeito.

0 comentários :

Postar um comentário

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!